Imprimir esta pg
0
0
0
s2sdefault

Governo quer vender lucro do pré-sal

12 Março Lido 1816 vezes

Em meio à crise econômica mundial, privatização traria prejuízo em dobro


Mesmo com o mercado financeiro desabando, o Governo Bolsonaro mantém o desejo de vender estatais para fechar mais um ano de buraco nas contas públicas, o sexto consecutivo registrado pelas políticas de austeridade.

O alvo agora é a Pré-Sal Petróleo S/A (PPSA), estatal criada em 2010 e responsável por representar a União nos contratos de exploração de petróleo pelo regime de partilha. Privatizar a companhia significa entregar os lucros do pré-sal ao comprador.

Ao receber remuneração em óleo, a PPSA vende o produto através de leilões na bolsa paulista, a B3. No ano passado, foram arrecadados R$ 848 milhões com a venda de petróleo pela estatal. Mas a arrecadação vai subir ano a ano, na medida em que aumentar a produção do pré-sal. A partir de 2025 a arrecadação deve chegar a R$ 10 bilhões por ano até alcançar R$ 110 bilhões em 2032, de acordo com estimativas divulgadas pela própria PPSA.

Outra estatal na mira do governo é a Eletrobras. A ideia seria concentrar esforços nas duas companhias, já que dificilmente, com a crise econômica mundial que se desenha, haveria mercado para estais menores. A venda de duas joias da coroa em meio à turbulência implica receber valores baixos, duplo prejuízo para o país, que ficaria sem as empresas e arrecadaria um valor aviltado.

Segundo o G1, o valor de venda da PPSA chegaria a R$ 200 bilhões, teto estimado antes da queda esta semana dos preços do petróleo no mercado internacional. Com os valores do barril de óleo desabando, a perda para o Estado seria bilionária. Para vender a PPSA e a Eletrobras seria necessário alterar a legislação.

Fonte: Monitor Mercantil

Avalie este item
(9 votes)
0
0
0
s2sdefault
Veja algumas métricas do portal.
Subscribe to this RSS feed