Imprimir esta pg
0
0
0
s2sdefault

Epílogo da história de uma nação que um dia sonhou que poderia ser soberana: Brasil

Publicado em 04/11/2021 Lido 897 vezes

No próximo ano (2022) completaremos dois centenários de nossa pseudo independência : o 7 de setembro.

 

Claudio

 

 

 Claudio da Costa Oliveira

 

 

Antes disto, no sec. XVII, os inconfidentes mineiros, tentaram uma independência verdadeira. Os que não foram mortos foram degredados. O sonho foi sufocado.

Depois disto, somente no início do sec. XX, o nosso maior e único estadista, Getúlio Dornelles Vargas, trouxe de volta o sonho
Criou todas as bases para o desenvolvimento soberano da nação. Leis trabalhistas, autarquias para levantamento de dados e estudos e empresas estatais fundamentais para promover o desenvolvimento econômico, dentro de um modelo genuinamente brasileiro de “solidariedade cristã”, que não existe similar em nenhum lugar deste planeta.

Getúlio sonhou, lutou e se matou por isto. Acreditava que com seu sacrifício os “abutres” seriam derrotados e a liberdade nacional finalmente conquistada. Mas infelizmente, para o povo brasileiro, tudo foi muito efêmero.

Sua carta testamento, que deveria, nos dias de hoje , ser tema obrigatório nas redações do Enem, foi afastada de nossos estudantes. Trancafiada. Praticamente proibida. Recordada apenas por maiores de 70 anos, como eu.

Mas o legado de Getúlio fez com que de 1940 a 1980 o Brasil tenha sido o de maior crescimento industrial no mundo. Em 1980, a indústria brasileira produzia mais do que as industrias chinesas e coreanas juntas. Este crescimento vertiginoso foi provocado principalmente pela atuação de nossas empresas estatais, apesar de todos os seus defeitos.

O restante do mundo sempre quis e continua querendo, ter o Brasil como fornecedor de alimentos e matérias-primas baratos para eles se desenvolverem. Isto jamais poderia ser utilizado para o desenvolvimento do próprio Brasil.

Foi então lançada forte campanha de desmoralização de nossas estatais, classificadas como paquidermes e fonte de corrupção. Somente privatizando o país se modernizaria.

E vieram as privatizações. As empresas que promoviam o desenvolvimento e o pleno emprego, foram vendidas para oportunistas e espertalhões, banqueiros brasileiros, que pagaram com moedas podres, compradas a 20% do valor de face.

Os banqueiros logo depois vendiam estas empresas para investidores estrangeiros, que tinham interesse em explorar o mercado brasileiro. Os banqueiros engordaram seus caixas em US$ bilhões.

Com isto veio a decadência de nossa indústria, nossa engenharia e nossos centros de pesquisa.

Mas restava um empresa: a Petrobrás. O povo brasileiro não se convencia de que se tratava de um “paquiderme”

A Petrobrás descobriu o pré-sal (2006) e o sonho de que o Brasil poderia se desenvolver soberanamente voltou.

Foram feitos enormes investimentos. A Petrobrás se transformaria numa das maiores petroleiras do mundo. Sua geração operacional de caixa alcançaria níveis de US$ 50/60 bilhões/ano. Isto possibilitaria investimentos superiores a US$ 1 trilhão. Crescimento industrial, geração de emprego e renda, pesquisa engenharia etc.  

Os “abutres” sabiam que este processo precisava ser estancado. No final de 2014 foi iniciada a campanha de desmoralização da companhia. “Corrupção absurda”. “Nunca vista no mundo”

Mas o povo brasileiro relutava em abandonar sua fé na empresa. Foi então lançada a “mãe das mentiras”. Sem mostrar um número sequer afirmavam que a empresa estava quebrada. Tinha uma dívida impagável. Isto foi a gota d’agua para o povo brasileiro, que passou a olhar a empresa com desprezo.

O Partido dos Trabalhadores – PT, que administrava a companhia com o Sr. Bendine, mesmo tendo todos os números para demonstrar o contrário, não moveu uma palha.

Isto tudo pode ser visto em detalhes no livro “A segunda privataria”, “Como o Partido dos Trabalhadores -PT iniciou a destruição da Petrobrás”. Editora Altadena, vendido por R$ 35,00, com frete incluso para todo o Brasil.

Nos últimos anos as administrações da Petrobrás (diretoria e conselho) foram sendo estruturadas para destruir nosso último sonho
Não vai demorar muito e a Royal Dutch Shell vai assumir o lugar da Petrobrás no controle dos combustíveis do país. Adeus esperança. Adeus futuro

O epilogo da historia do sonho brasileiro chegou

Cláudio da Costa Oliveira
Economista da Petrobrás aposentado

ENERGIZANDO


- Paulo César Ribeiro Lima, consultor da AEPET e ex-funcionário da Petrobrás, sugere uma nova campanha “O petróleo é nosso”, em entrevista ao economista Eduardo Moreira.

Clique aqui para assistir

- Delação de Barusco forjada pela Lava Jato serviu para fraudar mais duas

https://revistaforum.com.br/politica/delacao-barusco-forjada-lava-jato-fraudar-mais-duas/

- Reuters destaca: 'Apenas números': nova promessa do Brasil para o clima gera ceticismo

https://www.reuters.com/business/cop/just-numbers-brazils-new-climate-pledge-draws-skepticism-2021-11-03/

- Fux derruba liminar que permitia bloqueios de caminhoneiros em estradas federais.

https://www.brasil247.com/brasil/fux-proibe-11-interdicoes-de-rodovias-federais-por-parte-de-caminhoneiros

 

Última modificação em Quinta, 04 Novembro 2021 06:47
Avalie este item
(5 votes)
Veja algumas métricas do portal.