Imprimir esta pg
0
0
0
s2sdefault

China poderia destruir o petrodólar atraindo a Arábia Saudita para negociar petróleo em yuan

10 Outubro Lido 8671 vezes

Pequim está tentando "obrigar" a Arábia Saudita a vender petróleo bruto em yuan, o que seria seguido por outros países

, de acordo com o economista-chefe e diretor-gerente da High Frequency Economics, Carl Weinberg. Isso vai atingir o dólar dos EUA, diz ele.

Em entrevista à CNBC Weinberg disse que a China se tornou um dos principais players do mercado de petróleo desde que ultrapassou os EUA como maior importador do mundo.

A Arábia Saudita tem que "prestar atenção nisso porque, até em um ou dois anos, a demanda chinesa vai afetar a demanda dos EUA", disse Weinberg à mídia.

"Eu acredito que o preço do petróleo no yuan está chegando e, assim que os sauditas aceitarem - como os chineses os tentam fazer - então o resto do mercado de petróleo se moverá junto com eles", acrescentou.

Um acordo de 1974 entre o presidente dos EUA Richard Nixon e o rei saudita Faisal fez com que Riyadh aceitasse dólares para todas as exportações de petróleo.

No entanto, recentemente, países como a China e a Rússia têm procurado excluir o dólar do comércio bilateral de petróleo. A Rússia e a Arábia Saudita são os principais exportadores de petróleo para a China, alternando-se no primeiro lugar.
A China já disse que quer iniciar um contrato de futuros de petróleo bruto com preço em yuan e conversível em ouro.

O investidor veterano Jim Rogers disse à RT no mês passado que os países estão ficando mais preocupados com o comércio em dólares, porque "se os EUA ficarem com raiva de você, eles
estabelecem uma enorme pressão, que pode tirá-lo dos negócios".

"A China, a Rússia e outros países entendem isso e estão tentando mudar o comércio e o financiamento mundial", disse Rogers.

Em julho, Rússia e a China assinaram um fundo de investimento de 68 bilhões de yuans (US $ 10 bilhões) para facilitar as trocas entre rublo-yuan.

Tradução: Alex Prado

Fonte: RT

Avalie este item
(7 votes)
0
0
0
s2sdefault
Veja algumas métricas do portal.
Subscribe to this RSS feed