Siga a AEPET
logotipo_aepet
aepet_autores_paulo_brandão
Paulo Teixeira Brandão

A importância de se votar nas chapas 41 e 52 nas eleições da Petros

(hoje dividido em vários PPSPs). Conforme temos escrito em várias matérias publicadas, o equilíbrio de um PPSP se dará quando três

Publicado em 17/05/2021
Compartilhe:

(hoje dividido em vários PPSPs).

Conforme temos escrito em várias matérias publicadas, o equilíbrio de um PPSP se dará quando três fatores ocorram da seguinte forma:  o patrimônio líquido (Reserva Constituída) com rendimento = a soma da inflação + juros atuariais (Meta Atuarial) = reserva matemática (Provisão Matemática).

Quando a igualdade desta trilogia não acontece, ocorre o denominado déficit técnico ou superávit técnico.

Portanto, nada tem a ver com déficit ou superavit de caixa.

Nada a ver com insuficiência de caixa para o curto e até para o médio prazo. Nada a ver com falta de liquidez no curto e até no médio prazo.

Tem a ver com a insuficiência futura e, também, com a possibilidade de liquidez futura do patrimônio. Esta, em razão do tipo e qualidade dos investimentos.

E por que estou fazendo este preambulo?

Porque o PPSP apresentou superavit técnico de 2007 a 2012, mesmo com os chamados 70 mal investimentos existindo, os quais Ex-Conselheiro Fiscais denunciaram a PREVIC, ao MPF e à CVM, com base em auditoria externa solicitada por Conselheiros Deliberativos eleitos.  

Apenas para exemplificar, vejam adiante a composição do superavit técnico registrado em 2010.

artigo brandão tabela

Portanto, existe muita desinformação a respeito deste assunto, com boas e más intenções, ficando clara a importância da atuação dos Conselheiros Fiscais, principalmente dos eleitos pelos participantes e assistidos.

Isto porque, mesmo a Diretoria Executiva apresentando Superavit Técnico no periodo de 2007 a 2012, aqueles Conselheiros não aprovaram as contas. Se tivessem os dirigentes da época efetuado as correções indicadas nos pareceres do Conselho Fiscal, como “família real e outras”, os superávits neste periodo seriam maiores e não ocorreriam, certamente no tamanho que ocorreram, os déficits técnicos de 2013, 2014, 2015, 2016, 2017 e 2018, matrizes do PED “assassino”.

O Conselheiro Fiscal não pode ser OMISSO e é pelas   razões apresentadas acima que indicamos para as próximas eleições na Petros os componentes da Chapa 41 - Vinícius Camargo e Rafael Prado para o Conselho Fiscal e da Chapa 52 - Marcos André e Adaedson Costa para o Deliberativo.

Paulo Brandão

Ex-Conselheiro da Petros

Diretor da AEPET e presidente da AEPET BR

Aposentado do “Grupo Cabeças Brancas”.

 

Receba os destaques do dia por e-mail

Cadastre-se no AEPET Direto para receber os principais conteúdos publicados em nosso site.
Ao clicar em “Cadastrar” você aceita receber nossos e-mails e concorda com a nossa política de privacidade.
guest
0 Comentários
Feedbacks Inline
Ver todos os comentários

Gostou do conteúdo?

Clique aqui para receber matérias e artigos da AEPET em primeira mão pelo Telegram.

Mais artigos de Paulo Teixeira Brandão

Receba os destaques do dia por e-mail

Cadastre-se no AEPET Direto para receber os principais conteúdos publicados em nosso site.

Ao clicar em “Cadastrar” você aceita receber nossos e-mails e concorda com a nossa política de privacidade.

0
Gostaríamos de saber a sua opinião... Comente!x