Siga a AEPET
logotipo_aepet
aepet_autores_michael_roberts
Michael Roberts

Criptomoedas sem amarras

- uma engrenagem crítica no mercado de criptomoedas - falhou brevemente em manter seu vínculo com o dólar americano. Uma stablecoin é uma moe

Publicado em 18/05/2022
Compartilhe:

- uma engrenagem crítica no mercado de criptomoedas - falhou brevemente em manter seu vínculo com o dólar americano. Uma stablecoin é uma moeda criptográfica vinculada a uma moeda fiduciária existente, ou seja, o dólar americano, facilitando a troca (se cara) entre uma moeda criptográfica como bitcoin e uma moeda oficial como o dólar. As stablecoins devem rastrear moedas do mundo real e, portanto, desempenhar um papel central na estabilidade do mercado de criptomoedas mais amplo, fornecendo aos comerciantes um local seguro para aplicar seu dinheiro entre fazer apostas em moedas digitais voláteis.

Mas na semana passada essa paridade de um para um entre o Tether e o dólar americano foi quebrada e o preço do Tether em dólares caiu, mesmo que brevemente, para 96c.

Uma questão fundamental para todas as stablecoins é sua resiliência a ataques especulativos convencionais, análogos aos ataques a taxas de câmbio fixas. As contas da Tether mostram que suas reservas de caixa para lastrear a indexação ao dólar são de apenas 4%, com a maior parte do restante em papéis comerciais arriscados em dólar. O JP Morgan informou recentemente que a stablecoin Tether não possui supervisão regulatória ou seguro de depósito. Portanto, se as pessoas não quisessem ou não pudessem usar os tokens Tether, “o resultado mais provável seria um grave choque de liquidez no mercado de criptomoedas mais amplo”, o que poderia levar todos a tentar vender ao mesmo tempo.

A oscilação do Tether aconteceu ao mesmo tempo em que o mercado de criptomoedas deu um grande mergulho junto com outros ativos financeiros especulativos, como ações e títulos, no que investidores e traders agora chamam de “mercado em baixa”. Isso provou, mais uma vez, que as criptomoedas não são dinheiro, mas apenas outra forma de ativo financeiro especulativo que sofrerá quando as bolhas de investimento começarem a estourar.

A Tether é a maior operadora no mercado de stablecoins de US$ 180 bilhões. Existem 80 bilhões de tokens Tether em circulação, o que significa que deve conter US$ 80 bilhões em ativos – uma soma que se compara aos maiores fundos de hedge do mundo. Mas os detalhes sobre como essas reservas são gerenciadas são escassos e não estão sujeitos a auditorias de acordo com padrões contábeis reconhecidos internacionalmente. No ano passado, a Comissão de Negociação de Futuros de Commodities dos EUA multou a Tether em US$ 41 milhões, alegando que a empresa fez declarações “falsas ou enganosas” sobre suas reservas.

O crash criptográfico foi ainda mais amplificado por outra criptomoeda, TerraUSD. Ela caiu de preço em relação ao dólar em 98%! O Terra também se chama stablecoin, mas tem pouco em comum com o Tether além do objetivo de valer US$ 1. Em vez de ser lastreado em ativos em dólar, é uma “stablecoin algorítmica”, onde seu valor em relação ao dólar é determinado por decisões 'descentralizadas' tomadas pelos participantes. Seu valor, portanto, não depende de nenhum ativo baseado em dólar que apoia a stablecoin, como supostamente faz o Tether, mas puramente da confiança dos detentores do Terra de que é equivalente a um dólar!

Este é, na verdade, um “esquema Ponzi”, em que o valor dos ativos depende de pessoas suficientes preparadas para continuar comprando quando outros querem vender e não de qualquer valor subjacente de qualquer mercadoria que o apoie. Como disse um observador, “isso parece um castelo de cartas porque é. O sistema depende de um mercado ativo, o que, por sua vez, exige que os traders acreditem que não ficarão isolados segurando a brocha. Se todo mundo azedar no TerraUSD de uma vez, a coisa toda desmorona.” E isso aconteceu.

Tudo isso prova o que argumentei em posts anteriores. Bitcoin e outras criptomoedas não são mais aceitas como dinheiro do que quando entraram em cena. Eles continuam a fazer parte das finanças digitais especulativas. Eles não substituirão as moedas fiduciárias, onde a oferta é controlada por bancos centrais e governos como principal meio de troca. Elas permanecerão na micro periferia do espectro das moedas digitais, assim como o esperanto fez como uma língua global universal contra o poder das línguas imperialistas inglesa, espanhola e chinesa.

Enquanto isso, a indústria de mineração criptográfica usa grandes quantidades de energia na “mineração” dessas moedas, pois os conjuntos de computadores necessários para a mineração criptográfica agora consomem 0,55% da produção global de energia – quase tanto quanto um pequeno país. Todo o hype associado à criptomoeda obscurece o fato de que ela está usando milhões de toneladas de carvão, cobre, metais de terras raras e plástico. A China baniu efetivamente a mineração e o uso de criptomoedas no final de 2021 porque a mineração estava consumindo muita energia e por causa dos riscos especulativos associados à criptomoeda.

Essas grandes quedas nos preços das criptomoedas expuseram o fracasso das tentativas de alguns países emergentes de arrecadar fundos lançando criptomoedas nacionais e emitindo títulos governamentais em criptomoedas. Veja o experimento de El Salvador. Três economistas – Diana Van Patten de Yale, Fernando Alvarez da Universidade de Chicago e David Argente da Penn State – publicaram recentemente um estudo sobre a adoção do bitcoin em El Salvador. Suas descobertas, com base em uma pesquisa pessoal representativa de 1.800 salvadorenhos, sugerem que, fora dos homens jovens, educados e experientes em tecnologia, o interesse durável no bitcoin não se materializou.

O governo de El Salvador ofereceu todo tipo de incentivo para os cidadãos usarem o cripto ‘chivo’ sobre o dólar americano, que está em falta: um bônus de instalação de US$ 30, pago em bitcoin, no valor de 8% do salário mínimo mensal; desconto nas bombas de gasolina do país, apenas para utilizadores de chivo; um fundo nacional de 150 milhões para subsidiar taxas relacionadas ao bitcoin; um lançamento de 200 caixas eletrônicos de bitcoin em El Salvador e mais 50 nos Estados Unidos; status de curso legal, então as empresas são obrigadas a aceitar a moeda criptográfica e os impostos podem ser pagos em bitcoin. Mas nada disso funcionou. A maioria dos salvadorenhos continua a usar o dólar americano. O estudo descobriu que “a razão mais importante para [as pessoas que conheciam o Chivo, mas não o baixaram] foi que os usuários preferem usar dinheiro. Isso foi seguido por problemas de confiança – os entrevistados não confiavam no sistema ou no próprio bitcoin.”

A especulação é inerente ao capitalismo, mas aumenta, como outras atividades financeiras, em tempos de mal-estar e crises econômicas, ou seja, quando a lucratividade cai nos setores produtivos e o capital migra para setores improdutivos e financeiros onde a taxa de lucro é maior. Esta é a razão para o surgimento e ascensão do mercado de criptomoedas. O que a queda desse mercado agora mostra é o que acontece quando os investidores começam a esperar uma queda nos lucros de uma desaceleração iminente e até recessão na economia 'real'.


Original: https://thenextrecession.wordpress.com/2022/05/15/crypto-untethered/

Receba os destaques do dia por e-mail

Cadastre-se no AEPET Direto para receber os principais conteúdos publicados em nosso site.
Ao clicar em “Cadastrar” você aceita receber nossos e-mails e concorda com a nossa política de privacidade.
guest
0 Comentários
Feedbacks Inline
Ver todos os comentários

Gostou do conteúdo?

Clique aqui para receber matérias e artigos da AEPET em primeira mão pelo Telegram.

Mais artigos de Michael Roberts
Publicado em 18/03/2024
Publicado em 22/11/2023
Publicado em 07/11/2023
Publicado em 19/10/2023
Publicado em 04/10/2023
Publicado em 06/09/2023

Receba os destaques do dia por e-mail

Cadastre-se no AEPET Direto para receber os principais conteúdos publicados em nosso site.

Ao clicar em “Cadastrar” você aceita receber nossos e-mails e concorda com a nossa política de privacidade.

0
Gostaríamos de saber a sua opinião... Comente!x